Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifap.br:80/jspui/handle/123456789/166
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSILVA, Danielson Rodrigo Cavalcante da-
dc.date.accessioned2019-10-07T13:06:21Z-
dc.date.available2019-10-07T13:06:21Z-
dc.date.issued17-11-2016-
dc.identifier.citationSILVA, Danielson Rodrigo Cavalcante da. Diabetes mellitus tipo 2: estudo morfofuncional com tomografia de coerência óptica e psicofísica visual. Orientadora: Maria Izabel Tentes Cortes. 2016. 85 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Departamento de Pós-Graduação, Universidade Federal do Amapá, Macapá, 2016. Disponível em: http://repositorio.unifap.br:80/jspui/handle/123456789/166. Acesso em:.pt_br
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifap.br:80/jspui/handle/123456789/166-
dc.description.abstractIntroduction: Type 2 diabetes mellitus is an acquired chronic disease related to the imbalance of glucose levels in the body due to lifestyle and environmental factors. Currently, this disorder is a challenge to public health because its complications affect the functionality of organs and tissues, including the eye, hampering the passage of blood and other nutrients to the retina, impairing metabolism and triggering morphological and functional changes in vision which reflect on chromatic and achromatic disorders. Objective: Evaluate the chromatic and achromatic vision in their morphological and functional aspects in people diagnosed with Type 2 Diabetes Mellitus. Methods: It was made a case-control study with a quantitative approach which evaluated 14 participants with type 2 diabetes mellitus with an average age of 57.435 ± 8.69 years old and compared to the control group evaluation results with an average age of 51, 66 ± 7.29. All participants underwent ophthalmic clinical evaluation consisting of refraction, assessment of intraocular pressure, retinography and optical coherence tomography (OCT). For comparison it was used 251.2 to 172.8 as normal range for the foveal thickness and 120.71 to 82.3 for the thickness of the optic nerve. Then the participants were submitted to a psychophysical evaluation through Lanthony D15 desaturated, Farnsworth-Munsell FM-100and the spatial luminance contrast sensitivity function-CSF. The results were tabulated in Microsoft Office Excel 2007 program and statistically analyzed by BioEstat 5.3 and D15 Analysis for MATLAB programs. The study was approved by the Research Ethics Committee of the Federal University of Amapá under the FR-278871/09 protocol. Results: The pre-clinical evaluation showed that participants had normal visual response in the Ishihara test. The ophthalmological evaluation showed that all participants had a visual acuity within the established parameters of 20/40 or better. No participant had intraocular pressure greater than 21mmHg. In the retinography no participant had a diagnosis of diabetic retinopathy and the OCT showed that the foveal thickness and the layer of optic nerve fibers presented changes of values and there were significant statistical correlation with glycated hemoglobin and blood glucose. The psychophysical evaluation showed that the visual performance of the group with T2DM was worse than the control group performance because there were statistical variations in Lanthony D15 desaturated related to the color confusion index, C-Index and S-Index. In the FM-100 test the spatial error exhibited statistical variance inthe control group. In the CSF test low and media frequencies showed greater variance in the control group as well. Conclusion: The findings show that changes in optical coherence tomography examinations were associated in at least one of the three psychophysical tests used in this study, so it is possible to conclude that morphological damage tends to impair functional. We also emphasize the presence of functional losses, even if we did not detect morphological alterations. In this way, we reinforced the importance of psychophysical tests in the monitoring of the functional capacity of the visual system, before the lesions were installedpt_BR
dc.description.sponsorshipCNPQ - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-
dc.description.sponsorshipCAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-
dc.publisherUNIFAP - Universidade Federal do Amapápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 United States*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/us/*
dc.source1 CD-ROMpt_BR
dc.subjectDiabetes mellituspt_BR
dc.subjectPsicofísicapt_BR
dc.subjectVisãopt_BR
dc.subjectTomografia de coerência óticapt_BR
dc.titleDiabetes mellitus tipo 2: estudo morfofuncional com tomografia de coerência óptica e psicofísica visualpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7993264034916519-
dc.contributor.advisor1CORTES, Maria Izabel Tentes-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3913689546568227-
dc.description.resumoIntrodução: A Diabetes Mellitus tipo 2 é uma patologia crônica adquirida, relacionada ao desequilíbrio dos níveis de glicose no organismo em função de estilos de vida e fatores ambientais. Atualmente constitui um desafio para a saúde pública, pois suas complicações afetam a funcionabilidade de órgãos e tecidos, dentre eles o globo ocular, dificultando a chegada de sangue e demais nutrientes à retina, comprometendo seu metabolismo e desencadeando alterações morfológicas e funcionais da visão que se reflete em distúrbios cromáticos e acromáticos. Objetivos: avaliar a visão cromática e acromática em seus aspectos morfológicos e funcionais em pessoas diagnosticadas com Diabetes Mellitus Tipo 2. Métodos: tratou-se de um estudo caso-controle com abordagem quantitativa onde foram avaliados 14 participantes com diabetes mellitus tipo 2, com média de idade 57,435 ± 8,69 Anos e comparados aos resultados da avaliação do grupo controle com media de idade 51,66 ± 7.29 anos. Todos os participantes realizaram avaliação clínica oftalmológica composta por refratometria, avaliação da pressão intraocular, Retinografia e Tomografia de coerência óptica que utilizou para comparação faixa de normalidade 251.2 a 172.8 para a espessura foveal e 120.71 a 82.3 para a espessura do nervo óptico. Em seguida, realizaram avaliação psicofísica através dos testes de Lanthony D15 Dessaturado, Farnsworth-Munsell FM-100 e função da sensibilidade ao contraste espacial de luminância-FSCEL. Os resultados foram tabulados no programa Microsoft Office Excel 2007, e analisados estatisticamente pelos programas BioEstat 5.3 e D15 Analysis para MATLAB. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética e pesquisa da Universidade Federal do Amapá sob o protocolo FR-278871/09. Resultados: A avaliação pré-clinica mostrou que os participantes apresentaram resposta visual normal no teste de Ishihara. Na avaliação oftalmológica, todos os participantes apresentaram acuidade visual dentro dos parâmetros estabelecidos de 20/40, ou melhor. Na avaliação da pressão intraocular, nenhum participante apresentou valores pressóricos > 21mmHg. No exame de Retinografia, nenhum participante apresentou quadro de retinopatia diabética, e no exame de OCT, a avaliação mostrou que a espessura foveal e a camada de fibras nervosas do nervo óptico apresentaram alterações de valores, e que houveram correlações estatísticas significativa com a hemoglobina glicada e glicemia capilar. A avaliação psicofísica mostrou que o desempenho visual do grupo com DMT2, foi pior em relação ao controle, pois houve variações estatísticas significativas nos testes de Lanthony D15 Dessaturado nos índices de confusão de cor, C-Índex e S-Índex. No teste FM-100, O erro de ordenamento, apresentou variância estatística em relação ao controle, bem como no teste da FSCEL as freqüências baixas e medias apresentaram maior variância em relação ao grupo controle. Conclusão: Os achados mostram que as alterações dos exames de tomografia de coerência óptica estiveram associados em pelo menos um dos três testes psicofísicos utilizados neste estudo, desta forma, é possível concluir que danos morfológico tendenciam a perda funcional. Ressalta-se também a presença de perdas funcionais, mesmo não detectando alterações morfológicas, desta forma, reforçamos a importância de testes psicofísicos no monitoramento da capacidade funcional do sistema visual, antes de lesões instaladaspt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICApt_BR
dc.description.affiliationFAMA - Faculdade de Macapá-
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.subject.linhadepesquisaPROCEDIMENTOS E ATENÇÃO EM SAÚDE NO TRÓPICO ÚMIDO DA AMAZÔNIA-
dc.subject.areadeconcentracaoEPIDEMIOLOGIA E SAÚDE PÚBLICA-
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - PPGCS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_DiabetesMellitusTipo.pdf3,28 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons