Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifap.br:80/jspui/handle/123456789/228
Title: Estudo da prevalência da infecção por Chlamydia trachomatis em mulheres com cervicite atendidas em uma Unidade Básica de Saúde de Macapá (AP)
metadata.dc.creator: DIAS NETA, Débora Palmeira da Silva
metadata.dc.contributor.advisor1Lattes: http://lattes.cnpq.br/2325114623233599
metadata.dc.type: Dissertação
Citation: DIAS NETA, Débora Palmeira da Silva. Estudo da prevalência da infecção por Chlamydia trachomatis em mulheres com cervicite atendidas em uma Unidade Básica de Saúde de Macapá (AP). Orientadora: Kátia Jung de Campos. 2013. 64 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Departamento de Pós-Graduação, Universidade Federal do Amapá, Macapá, 2013. Disponível em: http://repositorio.unifap.br:80/jspui/handle/123456789/228. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A Chlamydia trachomatis (CT) é uma bactéria intracelular obrigatória Gram-negativa, que possui 15 sorovariantes divididos em 3 grupos: os 4 causadores de tracoma, os 3 de linfogranuloma venéreo (LGV) e 8 ligados a doenças genitais diferentes do LGV. É considerada a causa de infecção bacteriana com maior prevalência em diferentes grupos. A manifestação mais comum nas mulheres é a cervicite (inflamação do colo uterino), mas a bactéria também provoca, na maioria das vezes, uma infecção assintomática (70%), que quando não diagnosticada precocemente e corretamente tratada, pode causar graves consequências, como dor pélvica crônica, gravidez ectópica e infertilidade. O objetivo desta pesquisa foi conhecer a prevalência da infecção por Chlamydia trachomatis na população feminina com sintomatologia sugestiva de cervicite atendida em uma unidade básica de saúde (UBS) do município de Macapá (AP). Foram coletadas 31 amostras de pacientes que procuraram o atendimento de ginecologia ou o serviço de planejamento familiar na UBS Policlínica da UNIFAP com sintomatologia sugestiva de cervicite. O material coletado foi secreção endocervical fazendo uso de swab, que foi analisado através da metodologia de imunofluorescência direta. A prevalência de infecção por Chlamydia trachomatis foi de 67,7% (21/31). Dentre as variáveis estudadas, somente a presença de secreção nas mulheres demonstrou ser estatisticamente significativa (odds ratio, OR, 14,25, com intervalo de confiança de 95%: 2,07-98,14, p = 0,006). A taxa obtida neste estudo está de acordo com o estudo de Herkenhoff et al. (2012), que obtiveram número também elevado (56,45%) em São Paulo e Santa Catarina, apesar de ambos os estudos estarem com taxas acima das médias nacionais e internacionais. Outros estudos também verificaram a associação entre positividade para clamídia e a presença de secreção e a não associação com asdemais variáveis econômicas e comportamentais. Foi encontrada prevalência de 67,7% de positividade para Chlamydia trachomatis na população estudada, o que significa dizer que em 67,7% dos casos de cervicite a CT é o agente causador desta doença. Não foi encontrada associação significativa com nenhuma variável socioeconômica ou comportamental. No entanto, detectou-se associação estatisticamente significativa com a presença de secreção nas pacientes atendidas
Abstract: Chlamydia trachomatis (CT) is an obligatory Gram-negative intracellular bacteria, with 15 serotypes separated in 3 groups: 4 that cause trachoma, 3 which are the causes of lymphogranuloma venereum (LGV) and 8 which have been associated with genital tract infections non-related to LGV. It is considered the most prevalent cause of bacterial infection in different groups. The most common manifestation in women is cervicitis (cervix inflammation), but CT also causes, most times, an asymptomatic infection (70%), which, when not early diagnosed and properly treated, may cause serious consequences, as chronicle pelvic pain, ectopic pregnancy and infertility. To know the prevalence of Chlamydia trachomatis infection in women presenting suggestive symptoms of cervicitis and assisted in a public primary care unity in Macapá (AP) was the objective of this study. 31 samples were collected from patients seeking gynecologic or family planning services in the UNIFAP’s Policlinic with suggestive symptoms of cervicitis. The material was endocervical fuid collected by using a swab which was tested by imunonofluorescent assay. The prevalence of CT infection was 67.7% (21/31). Among the analyzed variables, only the presence of vaginal discharge was significantly associated to CT infection (odds ratio, OR, 14.25, 95% confidence interval : 2.07-98.14, p = 0.006). The prevalence observed is similar to that obtained in the research by Herkenhoff et al. (2012), in which a high prevalence (56,45%) was shown in São Paulo and Santa Catarina. In both studies the prevalence is above national and international averages. Other groups also verified the association of the positivity to C. trachomatis infection and the symptom of vaginal discharge, and, just like in our study, they did not verify significative associations with other variables such as economic and behavioral ones. This research found a prevalence of 67.7% positive cases for CT infection in the investigated population, which means that in 67.7% of the cervicitis cases, Chlamydia trachomatis was the etiologic agent. No association was found between positivity and economic or behavioral variables. However, a statistically significant association was detected between infection and the symptom of vaginal discharge
Keywords: Chlamydia trachomatis
Prevalência
Cervicite uterina
Mulheres
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
CNPQ::CIENCIAIS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::GINECOLOGIA E OBSTETRICIA
Publisher: UNIFAP - Universidade Federal do Amapá
metadata.dc.publisher.country: Brasil
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - PPGCS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_EstudoPrevalenciaInfeccao.pdf862,92 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons